19/04/2015
por Colunista Convidado
comentários

OFDND4

 

Um oi clichê a todos.

Pessoal, me perdoem pela demora, eu passei a tarde de hoje inteira fora (em minha defesa, foi com o dono do blog, então eu não mereço uma bronca tão grande assim), e só cheguei agora pouco. Como não conseguia concluir a resenha deste livro (e creio que não ficou muito boa), enrolei e enrolei e enrolei e saiu assim:

Nome: O Futuro de Nós Dois
Autores: Jay Asher & Carolya Mackler
Ano: 2013
Edição: 1
Editora: Galera Record
Páginas: 381
Nota: 7/10

O que você faria se você tivesse a oportunidade de saber como será sua vida daqui algumas décadas, e tudo isso refletisse em relação ao que você está fazendo hoje? Ficaria com medo? Daria aquela checadinha básica para ver se o esforço no presente trará resultados no futuro? É isso o que Emma e Josh precisam responder.

Antes de tudo, deixe-me situá-los: Emma e Josh eram melhores amigos. Um dia, quando Josh resolveu se declarar para Emma, a amizade deles tornou-se fria, até que eles se afastaram e passaram a fingir que não se conheciam. Josh continuou andando com os amigos de antes, e Emma ainda conversava com eles, mas passou a dar mais atenção a um novo grupo, com pessoas mais populares no colégio. Assim, namorou meninos lindos, mas sem conteúdo (novidade no mundo teen, galera!). Josh, que sempre ficou mais na dele, se apaixonou por Emma em segredo. Sabia que não poderia contar a ela em hipótese alguma, pois não queria perder sua amizade. Mas, por imaginar que ela também gostava dele, resolveu assumir este amor, que, obviamente (outra novidade teen), não foi correspondido.

 

Sem Título-2 cópia
Mesmices teen vão, mesmices teen vêm, e a história começa quando Emma ganha um computador do seu pai como forma de pedido de desculpas. Como a história é situada no final do século passado, por volta de 1995, a adolescente resolve criar um e-mail, para finalmente se sentir conectada com a galera (sim! ele já foi o point dos adolescentes, assim como o Orkut), mas, depois de criar o cadastro, acaba clicando em um link aparentemente errado e vai parar num site chamado Facebook.com. A princípio ela fica assustada, mas resolve colocar o e-mail e senha que acabara de criar, para ver se este link era uma página extra do e-mail.

Acontece que, quando entra, BUM!, ela se vê mais velha, casada, com filho. O que é isto? Por que eu estou tão velha? Emma fica confusa, e busca ajuda de seu antigo melhor amigo, Josh, que também é seu vizinho. Apesar de mal se falarem há mais de 20 meses, ela acredita que ele possa ser o único a ajudá-la.

Então, os primeiros capítulos se desenrolam nessa dupla tentando desvendar os mistérios de uma rede social tão assustadoramente inovadora. Neste meio tempo, notamos a frieza que os antigos melhores amigos têm um com o outro agora, e que, no decorrer das páginas, passa a se derreter, enquanto buscam a antiga amizade de volta.
Quando Emma passa a observar melhor algumas publicações na página do seu “eu-futuro” no Facebook, ela percebe que, daqui a alguns anos, estará casada com um homem que não se importa muito com o que ela tem a dizer: depois de ter feito a faculdade dos seus sonhos, ela não pratica tal profissão; muito pelo contrário, acaba tendo que cuidar da casa. Superhipermega chocada (por incrível que pareça, a gata achou que fosse encontrar um Einstein beijando Joeys Tribbiani), Emma passa a avaliar sua vida atual. Portanto, decide terminar seu namoro, e, quando volta mais à noite no Facebook, sua vida mudara: ela era casada, mas com outro homem, e agora possuía filhos. Parecia feliz. Postava status felizes. Mas não passava de aparência.

Ao voltar no dia seguinte à rede, Emma percebe que seu “eu”estará de mal a pior. Então, decide mudar toda a sua rotina, até aparentar ter um futuro perfeito. Não dá certo. E ela muda de novo. E de novo. E de novo.

Emma fica tão obcecada com os reparos de imperfeições do futuro que acaba deixando de viver o presente. Josh tenta fazer com que pare, mas não consegue. Quando começa a ficar fora de si, Emma FINALMENTE percebe que está na hora de deixar esse site de lado, e busca viver melhor o dia de hoje.

Mas como nem tudo são mares de rosa, quando volta para o “mundo real”, Emma passa a se revoltar com todos, inclusive Josh, como se o pobrezinho(bleh) tivesse culpa de seu futuro. Ela tenta se controlar ao máximo possível para não dar uma checada no site, até que não consegue e conecta-se mais uma vez. E agora, tudo definitivamente estava fora do lugar: Josh e seus outros amigos não estavam mais adicionados em sua conta do Facebook, ela estava(ou estará?) cada vez mais infeliz em seu futuro, pois abandonara todos agora.

(Nesse trecho, eu associei Emma a tudo do mundo atual: a necessidade de mudança,os erros que precisam ser reparados a todo momento. Como se fosse possível que tenhamos, no final, uma vida perfeita. Mas, bem, infelizmente, não há. Por isso não devemos viver para o amanhã, se o hoje está bem aqui. Foi-se a lição de moral, continuemos.)

 

OFDND2

Agora, mais que tudo, Emma quer reparar seus estragos pessoais. Vai atrás do seu antigo grupo, e eles a aceitam de volta. Ok, tudo aparentemente está voltando ao normal. Mas, mesmo assim, Emma ainda não tem coragem de procurar Josh e tentar resolver as coisas com ele. Depois de tudo o que ela fizera a ele, de toda a arrogância, depois de toda sua estupidez. Depois de ter sido a pior amiga do mundo, Josh estava lá quando ela precisou de sua ajuda, sem ao menos questionar ou pedir algo em contra. Mesmo gostando dela, ele não tentava se mostrar triste quando a via na escola com um dos vários babacas iguais caras que namorara. Ele não a julgara, e ela nunca se importou verdadeiramente com ele.

E então, finalmente ela percebe que o futuro realmente estava a sua porta (ou na mesma rua em que mora), mas ela o ignorou o tempo todo. Será que ainda há chances de reparar este erro brutal? Não sei se realmente preciso dizer algo, mas se vocês ainda têm dúvidas, só descobrirão ao comprarem este brilhante livro escrito em conjunto no site da Saraiva, ou na Amazon Brasil.

Tentei não contar tanto assim da história, mas me pareceu meio muito impossível. Este foi o primeiro livro que li de ambos autores, e único, então não tenho uma opinião formada sobre eles. É um livro adolescente, feito para adolescentes, e sem um aprofundamento relevante. Não é o melhor livro que já li, mas é algo para ler enquanto está num ônibus depois da aula/do trabalho, porque ele é escrito em um formato beeeem simples e gostosinho de se ler. Assim como no Facebook de verdade, a história possui momentos com os posts no formato atual, com a opção “Curtir”, “Compartilhar”, e amostra de vários “Comentários”. Enfim, é divertido, e curto. Boa leitura, pessoal!

 

OFDND

 

Até semana que vem,

Um tchau clichê a todos.

 

Quem quiser seguir o blog em outras redes sociais:

Facebook ☁ Twitter ☁ Youtube ☁ Instagram ☁ Tumblr 

Follow my blog with Bloglovin

GOSTOU? COMPARTILHE O POST:
Enaltecendo a cultura pop desde 2014

Layout por Young Design | Programação por iDVisual Design
BOP TO THE TOP!