06/08/2015
por Douglas Vasquez
comentários

Editora: Novo Século | 1ª Edição, 2014 | ISBN 978-85-428-0451-5 | 366 páginas

Rainbow Rowell se tornou uma das minhas autoras favoritas depois que li “Fangirl“. Desde então, venho consumindo todos os seus livros com muita facilidade e me apaixonando por sua escrita cada vez mais. Não é novidade nenhuma por aqui o quanto eu amo os seus livros, né?

Em “Anexos“, que foi o primeiro livro de Rainbow, ela conta a história de Lincoln e a forma como ele se apaixonou por uma estranha após se candidatar para um emprego no turno da noite em um grande jornal. Sua obrigação no departamento de segurança é ler os emails considerados ofensivos que caem no filtro da empresa e enviar advertências para aqueles muito graves, é meados dos anos noventa e a internet ainda era uma grande novidade nas redações.

O livro é alternado entre capítulos que narram o cotidiano de Lincoln, um homem de quase trinta anos que desistiu da faculdade anos atrás e agora tem que aprender a lidar com a sua mãe controladora, a irmã mandona e as memórias da uma ex-namorada do colegial; e as conversas de email entre as jornalistas Beth (crítica de cinema renomada) e Jennifer (a bff neurótica e dramática, parte da equipe revisora do jornal) – as partes mais engraçadas do livro!

Ele se apaixona por Beth sem nunca ter a visto, que se descobre infeliz no namoro com o guitarrista de uma banda bombadinha na cidade e por causa dela começa a sair de sua zona de conforto, se esforçando e evoluindo conforme o livro avança. Ela por sua vez, se apaixona por ele sem saber que o cara lê os seus emails, apelidando-o de “MCF“, ou “Meu Cara Fofo“.  Apesar de creepy é fofinho, vai?

“Amor. Propósito. Essas eram coisas para as quais não se podia planejar. Essas eram coisas que simplesmente aconteciam. E se não acontecessem? Você passava a vida toda ansiando por elas? Esperando para ser feliz?”

Eu gosto da maneira sorrateira que RR constrói a personalidade dos seus personagens, os fazendo crescer conforme a história passa e me fazendo sempre (S E M P R E) tirar uma lição valiosa para a minha vida. Mesmo que simples.

Ler “Anexos” é ter momentos de riso garantidos e mesmo sendo o primeiro romance escrito por ela, não deixa nada a desejar, até mesmo com o final característico da autora. Se bem que, acredito que neste livro ela tenha deixado as coisas bem mais claras e definidas do que com seus outros livros que terminam e nos deixam perguntando “o que diabos aconteceu depois?” quando terminam.

A edição é super caprichada, assim como todos os livros da RR que a Novo Século trouxe para o Brasil (estou no aguardo do lançamento mundial de “Carry On” :3) e vocês podem imaginar tamanha a minha surpresa ao ver esse detalhezinho atrás da orelha de trás do livro! É uma quote que um certo personagem diz em um dos capítulos finais, uma graça!

“Eu não sabia que alguém podia me amar assim – disse ela. – Podia me amar e amar e amar e amar sem… precisar de espaço.”

Acho que já dá pra imaginar qual a sequência lógica para a minha próxima resenha da Rainbow.

badge_post_01

GOSTOU? COMPARTILHE O POST:
Enaltecendo a cultura pop desde 2014

Layout por Young Design | Programação por iDVisual Design
BOP TO THE TOP!