04/04/2016
por Douglas Vasquez
Comente!

GIRL ONLINE, 2014 | ZOE SUGG | PENGUIN BOOKS | 345 PÁGINAS | ISBN 978-0-141-35727-0

A primeira vez que eu ouvi falar do “Girl Online” foi em um dos vlogs da Zoella. Eu acompanho a vlogueira britânica há anos e por lá, essa onda de Youtubers publicando livros aconteceu anos antes do que aqui no Brasil. Ao contrário dos seus colegas, Zoe escreveu um livro que não fala diretamente sobre si, como uma auto-briografia.

No primeiro livro da série “Girl Online”, Penny Porter enfrenta os mesmos problemas de auto-confiança e ansiedade que Zoe sempre deixou abertamente claro que sofre — além de ter um blog, onde compartilha todas essas inseguranças sem revelar a sua identidade, referindo-se apenas como Girl Online; mas de forma alguma é auto-biográfico.

Sendo uma garota que ainda está no colegial e vive na costa em algum lugar da Europa, Penny adora fotografia e é de certa forma é obrigada a tirar fotos da peça teatral que o seu colégio está apresentando. Como uma garota insegura, ela também é bastante atrapalhada e não gosta de chamar atenção — e tudo piora quando ela tem que fazer tudo isso em frente ao seu crush, que lidera a encenação toda. É claro que alguma coisa dá errado e ela é humilhada publicamente, e logo depois, virtualmente também, fazendo com que ela se feche completamente e faça de tudo para fugir da situação.

“Toda vez que você publica algo você tem uma escolha. Você pode fazer algo que acrescenta para os níveis de felicidade no mundo — ou você pode fazer algo que a toma.”

Os pais de Penny planejam eventos em geral na Inglaterra, mas são contratados por um casal muito rico para planejarem seu casamento… Em Nova York, com tudo pago. É a situação perfeita para Penny fugir do caos que a certa no momento, fazendo com que ela arraste seu melhor amigo gay, Elliot, para outro continente.

Em Nova York ela é outra garota, onde conhece o charmoso Noah, um cara mais velho do que ela que a ajuda a controlar seus ataques de pânico. Enquanto vivencia o melhor que Nova York pode oferecer, Penny compartilha todas as suas experiências em seu blog e são estes pequenos posts que se encontram no meio dos capítulos que tornam a história ainda mais interessante, complementando o enredo.

Ela se vê em um dilema quando chega a hora de voltar pra casa — e voltar a realidade. Porém, tudo desmorona quando grandes segredos são revelados e ela precisa controlar sua ansiedade e encarar uma grande situação. Seu namorado talvez não seja quem ela pensou que fosse, sua amizade com Elliot pode estar por um fio, sua vida virtual está de ponta cabeça e ela tem que descobrir qual dos seus amigos do colégio é a falsiane da história toda.

“É um mundo onde as pessoas pensam que está tudo bem se esconder atrás de seus monitores e usernames e dizerem coisas horríveis sobre uma pessoa que não conhecem. […] Então, da próxima vez que você for postar um comentário ou atualizar algo ou compartilhar um link, pergunte a si mesmo: ‘isso irá acrescentar algo bom no mundo?’ Se a resposta for não, então por favor delete. Já existe tristeza demais no mundo. Você não precisar adicionar mais uma.”

O livro é muito delicinha de se ler e foi o primeiro livro que li completamente em inglês, I’m proud to say. A leitura é leve e embora não pareça tão emocionante, você sempre fica curioso pra saber quais são os dilemas que pairam sobre a cabeça de Penny, que questiona e critica a prática do cyberbullying. A dinâmica dos posts nos capítulos são um ponto de ar fresco e faz com que tudo soe mais autêntico, te fazendo mergulhar na história e enxergar um outro lado da Garota Online; a única coisa que me incomodou foram os balões das mensagens que os personagens trocam em pontos da história, eles parecem sempre puxados pro lado errado (?).

Eu comprei o livro na Livraria Cultura, é a versão britânica da Penguin de capa dura (sem a jacket da americana) e paguei um preço bem salgadinho, embora eu acredito que tenha valido a pena. No Brasil o livro ganhou o título de “Garota Online” e foi publicado pela Verus Editora.

O segundo livro, “Girl Online: On Tour” foi lançado em Outubro do ano passado e eu também já comprei a minha cópia, ainda não li, mas quando o fizer postarei uma resenha aqui no blog cheio de fotinhas também.

Você pode conferir mais fotos do livro no meu Flick! 😉

Minhas redes sociais para quem quiser mais amor:

Facebook ☁ Twitter ☁ Youtube ☁ Instagram ☁ Tumblr

COMPARTILHE ESSA POSTAGEM:

28/03/2016
por Douglas Vasquez
Comente!

Hey galerinha, como vai?

Começou a operação com foco no canal do Youtube! E não poderia ter começado o ano (três meses depois? oi? ops) de uma maneira melhor do que com ela: Manu Gavassi! Fui ao show da sua primeira turnê EVER — e também a sua volta aos palcos após dois anos focando na carreira de atriz — que trouxe uma roupagem completamente nova para suas músicas, além de cinco faixas do seu killer extended play, “Vício”.

Quer ver tudo o que rolou? Puxa uma cadeira e senta, porque a cobertura foi looooonga — e com direito à backstage logo após o show! Sim! A Manu me contou algumas coisas sobre o que vem por aí. Dá o Play!

Espero que vocês gostem deste tipo de vídeo no canal, porque até agora eu não superei o meu bloqueio em sentar em casa e gravar um vídeo “comum” pra vocês… Gosto mesmo é de sair cobrindo eventos e tal. Beleza?

A turnê ainda vai passar por diversas cidades e você pode conferir todas as datas no site oficial. A irmã da Manu, Catarina Gavassi (uma fofa [e menor do que eu :o]), está colaborando com o figurino da turnê, se você tiver interesse nesse lado da moda, pode conferir todo o processo e looks lá no Instagram @ProjetoVício!

Nossa mais nova criação para a #VícioTour! quem curtiu? ???

Uma foto publicada por Projeto Vício (@projetovicio) em

 

COMPARTILHE ESSA POSTAGEM:

31/01/2016
por Douglas Vasquez
Comente!

Photo via Visualhunt.com

Você já ouviu falar em Newsletters, certo?

Tenho certeza que sim, afinal, eu sei que você é inscrito na que tem aí no cantinho do blog – e se não for, vou te convencer a se inscrever até o fim deste post. Mas caso você seja too cool for this e não conheça, vou te explicar bem direitinho como funciona. Sigam-me os bons!

Eu sou uma pessoa que é apaixonada por e-mails. Sério. A minha caixa de entrada é toda organizadinha, com pastinhas e categorias para cada tipo de e-mail que eu recebo. Eu abro diariamente, leio, deleto o que for desnecessário guardar e arquivo aquilo que é pra ficar no coração. Mas essa semana eu descobri uma face diferente do mundo das Newsletters que eu nem sabia que era trend e tá me deixando ansioso a cada notificação de e-mail que eu recebo. Eu adoro receber e responder e-mails, e se você também é assim, saiba que eu já te amo, meu caro leitor!

Newsletter é um meio utilizado por blogueiros e aqueles sites de compras que todo mundo usa uma vez na vida (ou várias), tipo Saraiva e Amazon, que você se inscreve e recebe em seu e-mail novidades de produtos – no caso das lojas virtuais – e avisos de posts novos e etc, no caso de blogueiros como eu. Essa era a finalidade da minha Newsletter quando criei há meses atrás. Juntar uma galerinha interessada em receber posts antecipados e updates sobre o blog em que você está semanalmente (ou quando me desse na telha, pra ser franco) e aos poucos ir criando uma tribo unida pra mandar muitos abraços virtuais. Um pouco mais de uma dezena se inscreveu aí no cantinho, o que é awesome, meu amigo e eu prometi que ia só mandar coisa interessante. Não mandei nada, na verdade só agora, mas enfim…

Acontece que as tais newsletters estão totalmente in agora e estão sendo utilizadas de uma outra forma, mais íntima e pessoal, que muito me agrada. A Anna Vitória explicou nesse post super didático, o que é melhor do que eu jamais poderia, então eu sugiro que você vá até o cantinho dela ler – e leve uma xícara de chá contigo – pra ficar mais por dentro do movimento.

Basicamente, é uma forma de receber e-mails com conteúdo específico e num tom de amizade da pessoa em que você se inscreveu, “às vezes a pessoa escreve sobre algo que aconteceu naquele dia, uma crônica, resumo da semana, compartilha links legais e faz algumas reflexões. Quase como, ou exatamente como, um blog pessoal, desses old school que todo mundo adora dizer que estão morrendo“, parafraseando a querida Anna. Praticamente uma coluna semanal, sacou?

Mas ué, Douglas, se o intuito é postar crônicas e reflexões, por que você não faz isso aqui mesmo no blog? Aí é que está. Na real, não tem motivo nenhum pra não postar aqui no meu cantinho clichê, mas eu que sou mesmo uma maria-vai-com-as-outras lendo tantas newsletters legais, também quis fazer igual. Afinal, que mal tem espelhar um pouco mais sobre a minha vida nem tão interessante na sua vida tão mais interessante do que a minha?

Eu jamais trocaria o conteúdo do blog para um conteúdo de newsletter. Continuarei aqui como foco principal, com todas as pautas mais importantes, resenhas e etc etc etc, como sempre será! A internet virou um mundão sem dono, crescendo a cada dia – assisti o filme “Her” outro dia e muito me abriu os olhos, mas isso é um causo que deixarei para newsletter – onde todo o conteúdo é jogado na sua cara e sua página na webs está disponível para qualquer pessoa e na newsletter eu posso ter mais controle de quem lê o que eu escrevo.

Eu poderei e irei contar coisas mais despreocupadas, coisas que não seriam interessantes deixar por aqui, coisas que eu contaria para meus amigos e depois riríamos (ou choraríamos porque é isso o que fazemos) e logo ficaria por isso mesmo. Algo mais jogado e descontraído. E o bom disso tudo, qual é? Você que está lendo poderia me responder com uma cartinha virtual (que é muito amor) e nós iriamos bater um bom papo sobre qualquer coisa que você quiser ou for tópico da quinzena.

Aliás, semanal ou quinzenal, eu não sei ainda. Vamos combinar que eu não sou bom em periodicidade e vamos ver no que dá por aí mesmo, beleza?

Te convenci a se inscrever na minha newsletter (que vai continuar se chamando Aquele Clichê por motivos óbvios)? Então coloca seu nominho e e-mail logo abaixo que a partir dessa semana já vai ter um conteúdo novinho em folha chegando na sua caixa de entrada.




 


Quer mais? Vou listar abaixo as minhas newsletters favoritas e assim você pode entrar para o time dos viciados em receber updates que te fazem gastar uns bons 10 minutos de entretenimento despreocupado. Eu amei tanto essa onda que até criei uma categoria no meu e-mail chamada “The Perks of Being a Wallflower” pra arquivar todas as cartinhas que eu estou inscrito!

No Recreio, por Anna Vitória – Afinal, depois que você conhece essa pessoa maravilhosa que escreve muito e tem muito a dizer sobre tudo, você não se cansa de pedir por mais. Todos merecem uma Anna Vitória em suas caixas de e-mail.

I’m Not 12, por Irena Freiras – Só decidi que deveria escrever esse post após receber a incrível newsletter dela sobre Orguilho e Preconceio/500 Days of Summer/Hart of Dixie. Além das ilustrações fofas (já falei da Irena por aqui), é sempre um papo bem legal pra relaxar enquanto coloca a cuca pra pensar.

Me Deu Na Telha, por Analu Bussolar – O blog da Analu é um dos meus vícios secretos há meses, daqueles que você não espalha por que sente ciúmes, sabe? E agora tem a tal da newsletter, que eu já chorei de rir e me identifiquei muito com a primeira que recebi. Also, já até troquei uns e-mails com a fofa.

Já posso começar a te mandar foto de gatinho fofo, inclusive da minha? Espero que sim! Te vejo por lá! 😉
COMPARTILHE ESSA POSTAGEM:
Enaltecendo a cultura pop desde 2014

Layout por Young Design | Programação por iDVisual Design
BOP TO THE TOP!