17/08/2015
por Douglas Vasquez
comentários

TRXYE POST

Eu não conheço nenhum álbum com nome realmente complicado, então esse tema foi o pior até agora.

Qual escolher? Não fazia ideia, até o “Sheezus” da Lily Allen passou pela minha cabeça, mas convenhamos, ele não tem um título complicado. Nem o TRXYE. O fato do “O” ter sido trocado por um “X” é o que me motivou a escrever sobre ele nesse post – ele nem de fato é um álbum e sim um EP.

TRXYE” foi lançado por Troye Sivan em 2014 através da gravadora Capitol Records (a mesma de uma das minhas cantoras die-hard, Katy Perry) e serviu como um experimento para o cantor (até então ator e um dos meus YouTubers favoritos – além de ser o meu ultimate OTP*) para testar sua essência musical e preparar seu público para o álbum que será lançado ainda no semestre desse ano (vem #WILD!).

Assim como Troye explicou há um ano atrás, o “X” representa o fator X em sua música, o seu diferencial como artista. A pronúncia do nome são as letras soletradas afirmando ficar irritado quando alguém o pronuncia “Trixie”. Apesar de Troye já ter uma carreira musical bem sucedida na Austrália – seu país natal -, o EP que contém 5 faixas, é o primeiro de seus trabalhos musicais a receber notoriedade mundial.

A primeira faixa é “Happy Little Pill“, que serviu com carro-chefe e foi o único single a ser lançado, ganhando um videoclipe que hoje acumula mais de 16 milhões de visualizações. A música define a atmosfera do álbum, com batidas moderadas, Troye leva a canção à seu ápice conforme a letra se desenvolve, cantando sobre adolescentes que enfrentam a depressão, ele afirmou que a compôs dedicada à um amigo.

A segunda faixa é “Touch“, a minha favorita do EP todo – é meio complicado, já que eu fico mudando de favorita sempre – e um pouco diferente da anterior, mas ainda focando no urban alternativo. Troye canta numa melodia jogada, arrastando um pouco as palavras, sobre o encontro apaixonado entre dois garotos apaixonados. Em um som que me faz fechar os olhos e me entregar totalmente à sonoridade, os efeitos magnéticos e interrompidos em alguns pontos da música são um trunfo da produção. “Parado no olho da tempestade / Meus olhos começam a vagar na curva dos seus lábios / No centro de um eclipse / Em total escuridão / Eu me aproximo e toco”, ele descreve a maneira ansiosa que se sente quando está prestes à beijar o amado.

Seguida pela divertida “Fun“, permanecendo ainda mais no campo do urban, ele traz a faixa mais animada do disco para equilibrar a atmosfera do TRXYE, cantando sobre o exército. A baladinha “Gasoline” vem para encerrar o pequeno ciclo de ineditas do EP. Troye mantém o tom da voz baixo, acompanhado de um piano, cantando sobre o arrependimento de uma suposta traição – o que é difícil de relacionar com a sua vida, já que ele é bastante reservado sobre os seus relacionamentos amorosos. “Preciso fazer algo / Fodi tudo por nada / Eu preciso contar para alguém, contar para alguém o que eu fiz”, diz ele na música.

A versão de “The Fault In Our Stars” contém um “(MMXIV)” no título, pois é a versão 2014 da música, que já havia sido lançada por ele um ano antes em prol de crianças com câncer. Ele se sentiu inspirado e profundamente tocado após assistir o filme “A Culpa é das Estrelas” (ah, jura?) e utilizou de suas habilidades talentosíssimas para gravar um videoclipe e reverter a renda arrecadada com a venda da canção no iTunes para um hospital de sua cidade. A versão da música que está no EP tem a produção mais eletrônica, combinando com as outras quatro faixas antecessoras.


Acho que eu já falei demais, vamos às considerações finais?

TRXYE” (2014) – ouça no Spotify, Deezer ou Rdio.

Melhor música: “Touch”

Pior música: De 5 faixas eu não vou escolher pior, qual é.

Não deixe de ouvir: “Gasoline”

Por que você deveria ouvir? Ele ainda vai dominar o cenário pop masculino.

Na escala de 1 a 5 X’s, quanto o “TRXYE” vale?

trxs

*OTP: One True Pairing, significa a combinação única de duas pessoas, o casal perfeito.

badge_post_01

GOSTOU? COMPARTILHE O POST:
Enaltecendo a cultura pop desde 2014

Layout por Young Design | Programação por iDVisual Design
BOP TO THE TOP!