15 de maio de 2016

EPIC FEATURINGS PLAYLIST COVER

Faz um tempão que eu não crio nenhuma playlist pra compartilhar com vocês, então eu estava aqui ouvindo a parceria do The Knocks com a Carly Rae (sempre) e a ideia surgiu. Espero que vocês encontrem alguns dos seus artistas favoritos na lista, e os que não conhecem, torço para que gostem assim como eu!

Vai ficar disponível lá no meu Spotify mas também no meu canal do Youtube pra vocês assistirem os clipes <3 Enjoy!

Compartilhe:


Arquivado em: Listas, Música

30 de abril de 2016

Desde o falecimento da Maggie eu acreditei que demoraria muitos anos até ter um gato em casa novamente. A memória dela ainda estava muito fresca em minha mente e a forma como ela nos deixou foi bastante traumatizante. Não desejo para ninguém ver o que eu vi, sentir-se impotente, sem poder reverter e ajudar um animalzinho querido. Aí apareceu a Katy.

Simples assim. Mais uma vez, eu não escolhi minha companheira felina, ela me escolheu.

O nome Katy não foi escolha minha também, embora tenha muito a ver comigo, foi a minha mãe que decidiu o nome por que ela também gosta da Katy Perry, assim como eu! Imaginem a minha cara de surpresa quando ela soltou a ideia no ar? Eu estava me segurando pra não sugerir os nomes das personagens e cantoras que eu gosto tanto (escolher nome é aquele dilema, né?) e ela logo de cara fala: “KATY PERRY!” hahahaha Por pouco o Perry não fica também.

katy-the-kat-aquelecliche

E não é que ela tem mesmo carinha de Katy?

Meu primeiro encontro com ela foi 1 semana antes, quando o meu irmão encontrou-a na rua de casa e a levou para mim; é claro que meu pai botou ele pra correr com a gata a fora. O negócio é que meu pai e meu irmão do meio tem alergia à gatos. Mas em um belo sábado de manhã, eis que uma bolinha de pelos laranja, desnutrida e beeeeeem assustadinha se enfia embaixo de um carro em frete a minha casa e não para de miar.

Com tantos cães rondando a rua, ela se encaixou logo embaixo do metal que cobre a roda do carro (como que chama isso? s o s) e a minha mãe correu me chamar para ajudar a gata. Ela já tava querendo ficar com a gata desde a primeira aparição dela, eu tenho certeza e só precisava de um pretexto pra acolhe-la. Quando levei Katy para dentro de casa, não pensei duas vezes e e nem pedi ao meu pai dessa vez (também não havia pedido quando adotei a Maggie (: ) e mais assustada ainda por estar rodeada de pessoas, ela correu para baixo do sofá.

Foi questão de tempo para ela se acostumar com a atenção toda (e com meu irmão de dois anos que até hoje usa e abusa da coitada) e logo já estava dormindo no colo… do meu pai. Isso mesmo! Ele ainda implica com ela, diz que vai colocar pra adoção, mas vive me ajudando a salvá-la quando sobe na árvore que tem aqui na frente de casa. No fundo, ele também a ama muito. E minha mãe, então? É o xodó dela! Bem mais do que eu, afinal, eu passo o dia fora trabalhando e estudando enquanto ela fica o dia todo em casa cuidando dela. #ciúmes

katy-kat-aquelecliche

É uma experiência totalmente nova, afinal, dessa vez eu a adotei ainda filhote. A primeira noite dela em casa sempre será inesquecível. Era o aniversário da Grazy e depois de muitas Skol Beats (e muitos Just10 na festa dela) eu fui pra casa (meio bêbado talvez) e passei a noite com a gatinha dormindo na minha barriga e algumas vezes ela colocava na cabeça que o lugar mais aconchegante era o meu pescoço (?).  Era uma noite bem quente e eu escorria de suor, mas é aquele ditado: fazer o que, né? Hoje ela prefere o vão do sofá e raramente dorme na minha cama, filhos…

Eu não a apresentei formalmente aqui no blog até agora porque talvez eu não estivesse preparado para substituir as minhas menções à Maggie por Katy. Mas está na hora. Preparem-se para muitos updates na incrível vida felina de Katy the Kat (sim, sou muito katycat mesmo, não me processa CoverGirl [entenda clicando aqui]), pois a partir de agora ela é oficialmente o mascote clichê e terá muitos featurings no conteúdo que eu criar. Aliás, ela fez uma ponta nessa foto que eu postei no Instagram e fez muito sucesso, viu? haha

Katy é gender-free, será castrada logo logo e continua a me surpreender todos os dias… E a dar trabalho à noite também! Desculpa mãe! Um dia reponho todos os vasos e flores quebrados pelas aventuras noturnas da nossa felina!

SNAPCHAT COM A KATY

Minhas redes sociais para você não perder nenhuma aventura de Katy:

Facebook ☁ Twitter ☁ Youtube ☁ Instagram ☁ Tumblr

Compartilhe:


Arquivado em: Life

6 de abril de 2016

Vocês já ouviram o álbum de estreia da falsiane que saiu da One Direction há 1 aninho atrás pra ser um “garoto normal de 22 anos” e agora é mais conhecido como ZAYN?

A questão é que eu ouvi. E venho ouvindo desde que vazou semana retrasada por motivos de: o disco é bom, é mais pop do que R&B e se você ignorar (ou excluir) as músicas que beiram o esquisito (‘INTERMISSION: flower‘ e derivadas), dá até pra dançar com os amigos ou seja lá o que vocês fazem quando sentem a música por todo o seu corpo.

Desde que o ZaYn saiu da banda eu tenho nutrido um sentimento de amor e ódio com ele. Odeio as tatuagens e ainda me pergunto que diabos deu na cabeça dele pra tatuar a testa. Não estou julgando quem tem tatuagens, por favor, eu sou fã da série After. Momentos. Mas ele é MUITO talentoso e talento é inegável, né migos? Sempre disse e nunca neguei que a voz dele sempre me deixou arrepiado embalando o lead das minhas músicas favoritas da 1D — desculpa, Harry!

Quando a música “iT’s YoU” saiu, como uma promo track no iTunes e tudo quanto é stream de música por aí, eu me apaixonei. Um total de: zero dos meus amigos gostaram da música. In fact, todos eles fizeram questão de deixar bem claro que preferiam dormir ao ouvir a música, o que meio que dá na mesma.

Gente, sério que vocês não curtiram esse hino contemporâneo que só parece passivo, mas na verdade é bem uma declaração cara de pau, “o problema não sou eu, é você“?

O clipe é todo em preto e branco, com a velha história “eu sou a vítima aqui” e a atriz Nicola Peltz, que tá bem caracterizada como a deusa Perrie Edwards. Ah, ele já declarou que a música é sim sobre ela, aliás.

Eu pretendia fazer um álbum review do “Mind Of Mine“, mas sei lá, talvez assim seja melhor, né? Não tenho muito a acrescentar pra metade das faixas que eu escolhi ignorar.

Voltando a baladinha quero ser Lana Del Rey: é tudo o que eu conseguia escutar por dias, é sério. MUITOS dias! E assumo que de fato só decidi que iria comprar o disco por causa dela… Ops. É contagioso? Me pego >cantando< sem culpa alguma as notas sussurradas e agudas e pasmem, eu nem acho que desafino tanto assim, tá? Oh @god.

As minhas outras faixas favoritas são “sHe“, porque vamos combinar, é TUDO de bom! “sHe looks somebody to love, to hold her. sHe looks somebody to love, in the right way“, tá na playlist FOREVER! Embora achei bem presunçoso e me senti ofendido ~tenho motivos?~ quando ele canta “sHe’s crying now ‘cause she loves me, holding my hands so I won’t leave, ‘cause baby don’t wanna be lonely, sHe says ‘I just want you to hold me'”, mas tá, a música é ótima e eu danço muuuuuuuito no chuveiro.

TiO“. QUE. MÚSICA. É. ESSA? SEM OR. Na última semana eu li um artigo na Cosmopolitan em que o título é “Zayn really wants you to know he’s having sex” e eu concordo muito. Ele quer mostrar que cresceu, cantando sobre sexo, drogas e bebida; quer mostrar até demais. Porém isso rendeu maravilhas como “TiO”, que nada mais é do que “Take it Off” disfarçado, tá? A batida da música é sexy e bastante convidativa a dançar, assim como seus vocais que soam determinados e indecentes.

Outra que me deixou de cabeça pra baixo é “LIKE I WOULD“, com uma letra óbviamente patética, do meu ponto de vista, mas que me tira do chão logo no “Heeeeeeeeeeeeeeee, won’t touch you LIKE I WOULD“. Assim como “BeFoUr” que é uma tacada de gênio e que de maneira nenhuma ataca os meninos da banda, onde ele canta que “já fez isso antes” [lançar um álbum], “mas não dessa maneira” [tão autêntica] <3 Pelo menos isso, né garoto normal de 22 anos? (Acho que ele já tem 23?)

v1d4 l0k4

Comecei o post pra falar da minha obsessão por “It’s YooooooOOooooOooooOOOou” e acabei fazendo uma pequena review das minhas faixas favoritas. Is it too late now to say sorry? Pra encerrar, também gosto muito de ouvir a intro chamada de “MiNd Of MiNdd“, “rEaR vieW“, “dRuNk“, “fOol fOr YoU” (QUE MÚSICA GENTE, QUE MÚSICA!) e “lUcOzAdE” — que eu não faço ideia do que signifique e acabo sempre pulando lá perto do final. Vou googlar agora.

UPDATE: Lucozade é um energético. E eles querem criar uma edição especial: LucoZayn…

Minhas redes sociais para quem quiser falar sobre lUcOzAdE:

Facebook ☁ Twitter ☁ Youtube ☁ Instagram ☁ Tumblr

Compartilhe:


Arquivado em: Música